21.06.2017

Seade disponibiliza projeções de população e domicílios até 2050

A Fundação Seade atualizou, em seu site, o Sistema de Projeções Populacionais. A partir de agora estão disponíveis as projeções de população de 2011 a 2050 – antes os dados abrangiam somente até 2030 – para os 645 municípios paulistas, os 96 distritos da capital e as regiões administrativas do Estado. Os dados podem ser visualizados na tela, impressos, ou ainda copiados por download.

Além das informações sobre população por sexo, faixa etária e idade escolar, agora poderão ser consultadas, nesse banco de dados, as populações urbanas e rurais e as projeções do número de domicílios ocupados.

De acordo com o Sistema de Projeções Populacionais, no Estado de São Paulo, entre 2017 e 2050, o número de crianças de 4 e 5 anos diminuirá de 1.130.506 para 870.546 e o de jovens de 18 e 19 anos se reduzirá de 1.316.846 para 974.074. Já o número médio de pessoas por domicílio, calculado pela relação entre as projeções de população e de domicílio, passará de 3 para 2,47 habitantes, nesse mesmo período.

No conjunto do Estado de São Paulo, a proporção da população residindo em áreas urbanas deverá aumentar de 96,4%, em 2017, para 97,3%, em 2050. É possível avaliar, também, as relevantes diferenças desse indicador entre os municípios, cujo intervalo deverá variar de 26,86% a 100%.
Em 2050, 274 municípios deverão contar com população inferior a 10.000 habitantes, enquanto somente 86 municípios terão mais do que 100.000 residentes, além do Município de São Paulo que deverá atingir 12,2 milhões.

A Fundação Seade realiza, mensalmente, uma pesquisa nos Cartórios de Registro Civil de todos os municípios do Estado de São Paulo, coletando informações detalhadas sobre o registro legal dos eventos vitais – nascimentos, casamentos e óbitos –, que compõem a base de dados das estatísticas vitais paulistas. Esses dados, associados àqueles provenientes dos Censos Demográficos realizados pelo IBGE, possibilitam o acompanhamento contínuo da dinâmica demográfica do Estado, de forma tanto agregada como desagregada por regiões, municípios e distritos da capital.

As projeções populacionais são essenciais para orientação de políticas públicas e tornam-se instrumentos valiosos para todas as esferas de planejamento. Estas informações viabilizam análises das demandas por serviços públicos, além de serem fundamentais para o estudo de determinados segmentos populacionais para os quais são formuladas políticas específicas. Tais projeções entram ainda no cálculo de vários indicadores econômicos e sociais, como, por exemplo, o PIB per capita e o número de leitos hospitalares por mil habitantes.

Obs.: Para calcular o número médio de moradores por domicílio ocupado, basta dividir a população projetada pelo número de domicílios ocupados.

Consulte aqui o Sistema de Projeção de População