Mulher e Trabalho

BOLETIM EM PDF ANEXO ESTATÍSTICO 
Boletim No. 24 - Março 2013

O Trabalho das Mulheres − Mudanças e Permanências

Tema(s):  RMSP

Resumo:

A presença das mulheres no mercado de trabalho voltou a crescer em 2012, quando sua taxa de participação aumentou de 55,4%, em 2011, para os atuais 56,1%. Para os homens, esse indicador manteve-se praticamente estável, ao passar de 71,3% para 71,5%.

Após oito anos consecutivos de redução, a taxa de desemprego total feminina permaneceu estável em 12,5%, enquanto a masculina aumentou de 8,6% para 9,4%, entre 2011 e 2012.

Para as mulheres, a estabilidade da taxa de desemprego é decorrente da criação de postos de trabalho praticamente no mesmo número das que se incorporaram à força de trabalho da região.

A geração de novas oportunidades de trabalho foi mais intensa para as mulheres do que para os homens. Entre as mulheres, cresceu o número de ocupações principalmente nos Serviços.

A formalização das relações de trabalho assalariado continuou se ampliando para ambos os sexos, mas de forma mais intensa para as mulheres, em especial nas ocupações com carteira de trabalho assinada no setor privado e, em menor intensidade, no setor público. Entre os homens, essa expansão deve-se unicamente ao pequeno aumento do contingente com carteira assinada no setor privado.

O aumento do contingente de trabalhadores com vínculos formais elevou o rendimento médio real por hora tanto para as mulheres (5,8%) quanto para os homens (5,2%). Esse desempenho pouco alterou a diferença entre os dois segmentos: em 2011, os valores médios auferidos pelas mulheres correspondiam a 76,6% dos obtidos pelos homens e, em 2012, essa proporção passou para 77,0%.

 


 Outros boletins de 2013