Inserção da População Negra no Mercado de Trabalho

BOLETIM EM PDF ANEXO ESTATÍSTICO 

Novembro de 2018 – Diferenciais de inserção entre negros e não negros no mercado de trabalho em 2017. Em destaque: os ocupados segundo tipos de relações de trabalho – 2º semestre de 2014 -1º semestre de 2018

Região:   RMSP

Resumo:

Estudo realizado anualmente pela Fundação Seade, em parceria com o Dieese, acompanha as mudanças e permanências das desigualdades entre negros e não negros no mercado de trabalho. As edições são publicadas sempre em data próxima ao Dia Nacional da Consciência Negra, 20 de novembro.

Em 2017, os negros representavam 41,9% da População Economicamente Ativa – PEA, na Região Metropolitana de São Paulo, enquanto sua proporção no total de ocupados era de 40,5%.

Com a repercussão da crise econômica no mercado de trabalho da Região Metropolitana de São Paulo, em 2015 e 2016, quando as taxas de desemprego aumentaram intensamente, os negros foram particularmente atingidos. Mesmo o desempenho ligeiramente positivo da economia em 2017 não foi capaz de evitar o aumento do desemprego. Entre 2016 e 2017, a taxa de desemprego dos negros ampliou-se de 19,4% para 20,8%, enquanto a dos não negros avançou de 15,2% para 15,9%.

Durante a crise, ocupações não formalizadas e independentes cresceram entre os negros, aspecto destacado nesta edição do boletim, que introduz uma análise pormenorizada sobre os ocupados segundo tipos de relações de trabalho entre o 2º semestre de 2014 e o 1º semestre de 2018.

Grupos de posição na ocupação