11.06.2015

Apesar da crise, comércio é destaque de emprego em SP

Diário do Comércio – 10/06/2015

Mesmo com o volume de vendas em queda, o comércio foi o único segmento que registrou aumento no número de postos de trabalho no quarto trimestre de 2014, com a geração de 20.504 vagas no Estado de São Paulo.

A alta foi de 1,2% em relação ao trimestre anterior. A informação é da Fundação Seade, com base em dados do Caged (Cadastro Geral de Emprego e Desemprego) do Ministério do Trabalho e Emprego.

De modo geral, houve uma queda de 1,3% no estoque de empregos formais nas empresas paulistas no último período de 2014, que foi impulsionada pela variação negativa praticamente generalizada entre os diferentes setores de atividade.

De acordo com a Fundação Seade, na passagem do terceiro para o quarto trimestre foram eliminados 94.578 postos de trabalho na indústria de transformação, o que representa uma redução de 3,5% no saldo líquido de empregos do segmento – o destaque neste setor fica por conta da fabricação de produtos alimentícios e bebidas (-27.684 postos ou -6,6%) e da indústria metal-mecânica (-25.874 postos ou -2,4%).

Já nos serviços houve diminuição de 60.240 postos de trabalho no período, provocando uma queda 0,5% no saldo de empregos formais. O agronegócio também teve redução de 49.672 no número de vagas, gerando um encolhimento de 11,8% nos empregos formais. A construção seguiu o mesmo ritmo, com queda de 40.964 postos de trabalho, ou 4,4%.

No acumulado do ano, o pequeno aumento de 0,3% no número de empregos formais no Estado de São Paulo se deveu principalmente ao crescimento no setor de serviços, que teve variação positiva de 2,3%, ou 140.737 postos de trabalho.